Etiqueta nas Corridas de Touros

Vasco Ribeiro - a Hora da Etiqueta

Corridas de Touros? Sim, não ou talvez! Ora pois então, a ser que seja com Etiqueta!

As corridas de Touros são uma das tradições culturais mais antigas, desde sempre. Em Portugal é não só. Espanha então… É que, entretanto, para além de fecharem as praças de touros até com os presuntos acabam e tudo. É que, não se espantem, são legais as corridas de touros. Aliás, mais que legais. Ainda se não fossem… Nem se percebe porque já foi tapado recentemente o símbolo de um touro e um toureiro das placas que sinalizam o Campo Pequeno. Sabe-se lá porquê… Ah, e tal, o Campo Pequeno já não é uma praça exclusiva de touradas. Isto porque existem outros tipos de eventos e espetáculos, é o que se diz algures por aí… Brevemente deverão fazer o mesmo que no Circo, isto é, a proibição de animais para efeitos de entretenimento público e afins.

Tantas e quantas não são as manifs contra as touradas. Nunca antes houveram tantas e tão acutilantes. Bom, até aqui nada contra! E atenção que eu gosto de animais. Sou defensor dos animais.

Ora bem, animais para a frente e animais para trás. Fica aqui um breve convite à reflexão! E, se de repente, num segundo apenas (dois ou três) pararmos para pensar no seguinte: se os animais são considerados seres vivos, as plantas, legumes, fruta, hortícolas, ou seja, a natureza, o reino vegetal (flora) o que são? São menos ou mais que os animais? À luz da biologia tudo o que tem vida… será mais ou menos isto! Difere o facto dos animais terem sentimentos. Confere-se, portanto. Não há dúvida nem pode haver.

Atalhando para o ponto onde pretendo chegar, que importa – e muito, aproxima-se a etiqueta tauromáquica. Convicções todos temos. Se as temos, claro! As nossas, sempre muito próprias, mais certas que as dos outros.

As corridas de touros representam um espetáculo tauromáquico muitas vezes associado a nobres causas. Vejamos o exemplo das grandes corridas em homenagem às Mulheres, aos Emigrantes, entre muitas outras, em emblemáticas praças de touros país fora. Aqui, ali e acolá.

É aqui que entra a Etiqueta na arena da Tauromaquia, pois claro. A Tourada da Etiqueta, melhor dizendo.
Se não gosta de ver ou assistir a corridas de touros tem muito bom remédio: muda de canal ou então não acompanha ninguém a uma qualquer praça de touros. Não deve tão pouco julgar quem é aficionado. Ironicamente, alguns dos que se dizem acérrimos defensores e devotos máximos dos animais (quando mais convém), são os que marcam presença de destaque nas corridas de Touros. Mas não são quaisquer corridas de touros. São corridas de Touros com pedigree social. As que têm a chancela de revistas do social, jornais e TV’s. Afinal, que Etiqueta é esta? Enfim…

Eu respeito a decisão de cada um… E, além do mais, neste caso concreto, os animais que são usados nas praças são o alimento de muitos outros animais (nos ou mesmo outros não racionais). Será agora alterado o “modus vivendi” só porque é chique ou “fixe” ser anti touradas? Particularmente, apoio quem gosta e não critico quem não gosta, mas apelo verdadeiramente a respeitarem-se!

Sempre que se cruzar com alguém num local público, desde um restaurante, pastelaria, café, bar, ou em qualquer outro, respeite e não ofenda quem porventura estiver a opinar positiva ou negativamente sobre as corridas de Touros, dependendo da sua posição, obviamente.

Provavelmente alguns aspetos inerentes ao “modus operandi” das corridas de touros deveriam ser analisados e revistos, como já fe fazem nalguns países em que as bandarilhas são menos agressivas para os touros. Mas bom, isso são outras pegas. Não misturemos cavaleiros, forcados, touros & cavalos de outro calibre.

Viva à Cultura, seja ela qual for e como for, sempre com Etiqueta!

Uma vez perdida, jamais recuperada. Para sempre apagada e esquecida!